Fúria de Titãs

28 de agosto de 2014

Circo Voador – 23/08/2014

Fotos: Marcos Hermes (Divulgação)

 

titãs

 

Em junho de 1985, quando o país ainda ouvia a reverberação do primeiro Rock in Rio, os Titãs lançavam o seu segundo disco “Televisão”, indo ao programa do Chacrinha e ajudando o Velho Guerreiro a avacalhar (no bom sentido) aquela zorra que se fazia no antigo Teatro Fênix, onde o programa era gravado.  Atrás da melodia pueril, os versos “a televisão me deixou burro demais” mostravam uma atitude punk.  No mínimo, vanguardista.

Lá no final desse mesmo disco, havia uma canção quase escondida com pouco menos de dois minutos chamada “Massacre”; um rockão a la Ramones que destoava de todas as outras.  “Massacre” era o embrião do monstro que, um ano depois, definiria para sempre o som pesado dentro da estética do grupo paulista.

Esse monstro foi “Cabeça Dinossauro”, certamente um dos álbuns nacionais mais importantes de todos os tempos, repleto de anti-hits instantâneos, com o octeto detonando as principais instituições sociais como “Policia”, “Igreja”, “Família”, “Estado Violência” e petardos sonoros como “Bichos Escrotos”, “Porrada” e “Homem Primata”.

Esse som agressivo e as letras muitas vezes escatológicas, permearam a trajetória do Titãs, principalmente em álbuns como “Tudo ao mesmo tempo agora” (1991) e “Titanomaquia” (1993), este último, produzido por Jack Endino, que havia dado o mesmo toque em álbuns do Mudhoney, Soundgarden e Nirvana.

Apesar de terem passado um longo período lançando álbuns com canções mais pop (“Domingo”, “Epitáfio”, “Enquanto houver sol”), era notório que o ponto no qual a banda se sentia mais à vontade sempre foi a pauleira.  E foi com esse resgate à crítica social, esse nó na garganta engasgado e o exercício entre o poder e a opressão que “Nheengatu” deu as caras.

Para o show, a banda entra mascarada como no clipe de “Fardado” (e não há como não se lembrar de Slipknot) emendando seis músicas do novo disco.  Os Titãs estão afiadíssimos e, apesar de mais enxuta, está muito mais pesada e concisa.  Paulo Miklos se consolida como um excelente guitarrista ao lado de Tony Bellotto; Branco Mello se tornou o baixista oficial e Sergio Britto se divide entre os teclados e baixo.  Os três, que no início da carreira pareciam meros coadjuvantes dividindo o coro, hoje cantam, tocam, assoviam e chupam cana.  E Mario Fabre, que entrou para substituir Charles Gavin, mostra que tem talento de sobra para deixar de ser um músico convidado e se tornar o mais novo Titã.

Em duas horas de porrada, o público vai ao delírio com as canções mais pesadas de sua carreira entremeadas por canções do último disco, com destaque absoluto para “Cadáver sobre cadáver”, “Chegada ao Brasil (Terra à Vista)”, “Mensageiro da Desgraça” e “Fala, Renata” (que ficou muito mais encorpada, ao vivo).

Como este foi o primeirão, provavelmente algumas canções podem sofrer algumas modificações ao longo da turnê.  “Marvin” e “Comida”, por exemplo, não combinam com o peso do set.  Foi quase um anti-clímax se o público não tivesse se rendido aos velhos de guerra.  Essas duas poderiam ser facilmente substituídas por “Clitóris” e “Flat-cemitério-apartamento” do álbum “Tudo ao mesmo tempo agora” ou “Será que é isso que eu necessito?”, “A verdadeira Mary Poppins” ou “Agonizando“, de “Titanomaquia”, que, estranhamente não aparecem na lista.

O certo é que, definitivamente, o ataque sonoro veio para ficar.  Os Titãs não são “a maior banda de todos os tempos da última semana“… eles são há 32 anos.

 

Set list

1-    Fardado

2-      Pedofilia

3-      Cadáver Sobre Cadáver

4-      Baião de Dois

5-      Chegada ao Brasil (Terra à Vista)

6-      Senhor

7-      Polícia

8-      Fala Renata

9-      Bichos Escrotos

10-   Mensageiro da Desgraça

11-   República das Bananas

12-   Flores

13-   AAUU

14-   Desordem

15-   Vossa Excelência

16-   Diversão

17-   Televisão

18-   Cabeça Dinossauro

19-   32 Dentes

20-   Quem São os Animais?

21-   Estado Violência

22-   Lugar Nenhum

23-   Eu Me Sinto Bem

24-   Sonífera Ilha

25-   Canalha

26-   Aluga-se

27-   Homem Primata

28-   Comida

29-   Igreja

30-   Marvin